A sarça ardente

Na vida de cada chamado/a há sempre uma sarça ardente, que o/a atraiu e levou a encontrar-se com este Deus diferente, apenas preocupado com a sorte dos homens. Seguiu-se o “descalçar” de nós próprios, dos nossos gostos, dos nossos projetos, do nosso comodismo, para abraçarmos o projeto de Deus, por mais incómodo que ele seja. E, a partir daí, toca a caminhar, porque esta chama não dá sossego e os homens precisam de nós!

Das Cinzas ao Fogo

O grande desafio da Quaresma é fazer com que esta cinza do início se transforme em luminoso lume a arder nos corações por ocasião da Páscoa da Ressurreição, como vão testemunhar os discípulos de Emaús. Não tenhamos medo nem vergonha de inclinar a nossa cabeça na quarta feira de cinzas para arrancarmos em grande para uma Quaresma rumo à Páscoa.