Somos uma família missionária, fundada em 1703 e dedicada ao anúncio do Evangelho sobretudo entre os mais pobres e os que mal ouviram falar de Cristo.

Com mais de 300 anos de missão, olhamos o futuro com renovada confiança na ação do Espírito Santo. Assim vivemos e trabalhamos:

  • Ao lado dos mais pobres e abandonados
  • Ao serviço da primeira evangelização
  • Em defesa da Justiça e da Paz
  • Ao serviço das Igrejas locais
  • No diálogo com as outras religiões
A Missão que nos foi confiada

Enviado pelo Pai e consagrado pelo Espírito Santo, Jesus Cristo veio salvar todos os homens. O mesmo Cristo prossegue hoje no mundo esta missão de salvação, da qual a Igreja é o sacramento. É no coração do povo de Deus e entre outras vocações, múltiplas e diversas, suscitadas pelo Espírito Santo, que nós, espiritanos, somos chamados pelo Pai e «segregados» (cf At 13,2) para anunciar a Boa Nova do Reino, no seguimento de Seu Filho. Respondemos a este apelo num Instituto religioso missionário, a Congregação do Espírito Santo sob a proteção do Imaculado Coração de MariaRegra de Vida Espiritana

É com estas palavras que abre a Regra de Vida Espiritana (RVE), o documento que nos orienta, estabelecendo a nossa identidade, a nossa missão e a forma de nos organizarmos. A RVE determina que nos dirigimos de preferência: àqueles que ainda não ouviram a mensagem do evangelho ou mal a ouviram; aos oprimidos e mais desfavorecidos individual e coletivamente; assumimos tarefas para as quais a Igreja dificilmente encontra obreiros. (RVE 12). No coração da nossa vocação está, pois, a vida apostólica. Para vivermos esta «vida apostólica», a nossa consagração inclui três dimensões essenciais: o anúncio do Evangelho, a prática dos conselhos evangélicos e a vida em comunidade fraterna e orante. (RVE 3)

 

A nossa vocação e missão
Onde nascemos
Poullart des Places e a sua comunidade, em Saint-Étienne-des-Grès

A certidão de nascimento da Congregação do Espírito Santo traz uma data: 27 de maio de 1703; e um local: Paris. Nesse dia, Festa de Pentecostes, um grupo de estudantes pobres, liderados pelo jovem Cláudio Francisco Poullart des Places, consagrou-se ao Espirito Santo na igreja de Saint-Etienne des Grés. Fundavam assim, aos pés da imagem de Nossa Senhora do Bom Sucesso, a primeira comunidade do Seminário do Espírito Santo. Claudio Poullart des Places tem apenas 24 anos, só será ordenado padre aos 27 e morre com 29. A finalidade desta Obra era acolher seminaristas pobres, dar-lhes uma sólida formação espiritual e intelectual e enviá-los para as dioceses mais carenciadas de clero. A aprovação legal da “Congregação e Seminário do Espírito Santo, sob a proteção da Virgem Imaculada”, só viria a acontecer 30 anos depois, mas desde a primeira hora, e ao longo de século e meio, formaram e enviaram centenas de padres para as dioceses de França, Canadá, Extremo Oriente e África.

Em 1841, também em Paris, o padre Francisco Libermann, um judeu convertido ao cristianismo, fundou a Sociedade do Imaculado Coração de Maria. Esta fundiu-se com a Congregação do Espírito Santo em 1848, já que partilhavam a mesma missão e espiritualidade. Inicia-se a segunda fase da história da Congregação, marcada pelo dinamismo desta nova família missionária e pela forte espiritualidade do Padre Libermann.

 

História e Personagens
A espiritualidade que nos alimenta
Busto de Libermann

“A experiência interior fundamental de Francisco Libermann foi a da força gratuita da graça de Deus. Deixar-se invadir por este absoluto foi a grande aposta da sua vida. ‘Entregar-se’ é uma palavra que aparece constantemente nos seus livros. A docilidade ao Espírito Santo, vivendo em nós, será a chave da sua espiritualidade. Ele empregará toda uma série de imagens para exprimir esta entrega ao Espírito. Ser como uma criança que tudo espera de sua mãe, ser como argila nas mãos do oleiro, como a estátua nas mãos do escultor, como o ferro nas mãos do ferreiro, como leve pena nas asas do vento. É preciso esperar a hora de Deus, aceitar deixar-se conduzir por Ele, ser paciente na provação, não ir mais além do que a graça nos conduz, aceitar os ritmos e os tempos e Deus”. (Adélio Torres Neiva, História da Província Portuguesa 1867-2004, p 740).

A esta atitude de consagração e docilidade ao Espírito Santo acrescenta Libermann a consagração ao Imaculado Coração de Maria, uma intuição que nasce da sua própria experiencia de fé. Depois da sua conversão e batismo sentirá a presença materna de Maria nos momentos decisivos da sua vida e da sua Obra. “Maria é o modelo de docilidade e fidelidade às inspirações do Espírito Santo, em todos os aspetos da nossa vida, sobretudo na oração. Veneramo-la e invocamo-la, para que o Espírito Santo, presente no Seu Coração Imaculado, se torne para nós, como n’Ela, manancial fecundo do nosso espírito apostólico”, assim nos orienta a nossa Regra de Vida (RVE 89). “A fusão da Congregação do Espírito Santo, de Poullart des Places, com a do Imaculado Coração de Maria, de Libermann, não foi apenas a junção de duas Congregações: ela veio pôr em evidência a união profunda que existe entre o Espírito Santo e Maria na origem e plenitude da missão”. (Adélio Torres Neiva, o.c., p 741)

Onde estamos

Hoje, com mais de 300 anos de história, a Congregação do Espírito Santo tem cerca de 2600 membros (Padres e Irmãos) e está presente em 65 países nos 5 continentes. O nosso carisma é partir em missão para outros países ou regiões, por isso não surpreende a grande diversidade de geografias e culturas. Essa geografia inclui países de maioria cristã como Cabo Verde, Holanda ou Filipinas, mas também países de maioria muçulmana como a Argélia, ou maioria hindu como a Índia, ou maioria budista como o Vietname. A missão espiritana vive-se nas periferias de S. Paulo ou de Luanda, nas comunidades campesinas do Paraguay, nas paróquias e missões de Moçambique ou Tanzânia, nas universidades dos Estados Unidos ou de Taiwan, com os imigrantes de Lisboa ou de Roma, nas comunidades ribeirinhas da Amazónia ou do Congo, na insegurança da Nigéria ou da República Centro Africana. Inclui países onde estamos há 300 anos e temos sólidas estruturas, como a França, e países onde acabamos de chegar e estamos a aprender a caminhar como o Vietname ou a Índia.

Os cerca de 120 espiritanos portugueses trabalham em AngolaCabo VerdeMoçambiqueBrasilMéxicoParaguaiBolívia e Espanha.

 

Espiritanos no Mundo  Espiritanos em Portugal