Missionário do Espírito Santo. Coordenador do gabinete de Justiça e Paz da Congregação, em Roma.

Coração africano

Há 180 anos, Francisco Libermann instalou-se em Roma, numas humildes águas-furtadas – que os Espiritanos reconstruiram no jardim da sua casa geral – enquanto procurava dar corpo à obra missionária com que sonhava, voltada para a missão integral no continente africano. A fragilidade da sua saúde nunca o permitiu rumar a África, mas fica para a história a sua frase “o meu coração é dos Africanos”! Morreu a 2 de fevereiro de 1852, com apenas 50 anos, mas muito futuro rasgado

Ser hospital de campanha

A Igreja está do lado das vítimas desta pandemia e quer ser parte da solução da crise por ela provocada ou, pelo menos, agravada. Isto dizem os Bispos lusos nos ‘desafios pastorais da pandemia à Igreja em Portugal’. São 53 pontos a ter em linha de conta num combate sem tréguas a todas as pandemias que vitimam as pessoas.