Perguntas que transformam

Estaremos nós predispostos a voltar para Deus, parando para dar a resposta verdadeira à pergunta essencial? Estaremos nós disponíveis a assumir o diálogo com Deus e com os irmãos como um momento de transformação simultaneamente pessoal e comunitária? Estaremos nós ordenados a saborear as grandes perguntas, para que elas não permaneçam no contexto do mero protocolo do diálogo?