Espiritanos no mundo

A Congregação do Espírito Santo trabalha, presentemente, nos cinco continentes. Desde a sua fundação, em 1703, teve 14.442 membros. Em 1964 que atingiu o máximo dos seus efetivos com 5.141 (3.500 padres, 800 irmãos e 850 jovens professos) a trabalhar em todo o mundo. A partir de então, como em quase todas as famílias religiosas, deu-se um acentuado decréscimo. Presentemente, somos à volta de três mil. 

Mesmo sendo globalmente menos que no passado, os Espiritanos trabalham neste momento em 61 países diferentes, o que é bem mais do que em qualquer outro momento da sua história. Os seus missionários de origem africana estão em mais de 50 desses países; com eles a Congregação lidera o esforço missionário africano, motivo de encorajamento para a Igreja no dealbar deste novo milénio.

A nossa Congregação tem como carisma partir em missão. É isso que tem feito desde que existe. São três séculos de encontro de culturas, de pessoas, de evangelização.

Nesta dinâmica missionária temos dado a nossa contribuição, tanto quanto nos é possível, para a realização do pedido feito por Jesus, antes de ir para o Pai: "Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda a criatura" (Mc. 16, 15).

Seguindo a orientação dos nossos fundadores de opção pelos mais pobres, fomo-nos espalhando, ao longo da História, pelos cinco continentes abarcando mais de 60 países.

  • A EUROPA é o continente onde nasceram os Missionários do Espírito Santo. Ainda hoje, quase metade dos espiritanos são de origem europeia. Todavia, os espiritanos na Europa estão cada vez mais velhos, com poucas vocações. A presença espiritana em alguns países, outrora grandes fontes de missionários para todo o mundo, parece ter os dias contados.

  • "O meu coração é dos africanos", dizia Libermann. De facto, este continente sempre foi o principal destino dos seus missionários. Aí se realizam os principais critérios da missão espiritana: a primeira evangelização, o diálogo inter-religioso, a presença junto dos mais pobres. Em ÁFRICA, nestes últimos anos, as vocações não param de crescer. De continente de destino, África promete agora tornar-se continente de origem de muitos missionários.

  • A AMÉRICA é um continente de grandes contrastes sociais. Aí, os espiritanos são chamados a realizar a sua opção preferencial pelos mais pobres e desfavorecidos; o trabalho nos rios da amazónia, ou em bairros periféricos do Rio de Janeiro são disso expressão concreta. A presença espiritana na América Latina é ainda bastante frágil, mas parece querer crescer cada vez mais.

  • As enormes distâncias que separam a OCEÂNIA dos continentes de onde são originários os espiritanos não impedem a presença, já há bastantes anos, dos Missionários do Espírito Santo nesse continente. Também lá, o encontro com os pobres e a primeira evangelização são um grande desafio.

  • Durante muitos anos, a presença espiritana na ÁSIA, resumiu-se ao Paquistão, e em número bastante reduzido. Mas, neste momento, sentimos que o Espírito Santo nos chama a voltarmo-nos para esse enorme e misterioso continente. Assim, respondendo a este impulso, estão sendo criadas novas missões em Taiwan, nas Filipinas, no Vietname e na India.