Semana Missionária em Vila da Ponte

Vila da Ponte, concelho de Sernancelhe, vestiu-se de festa para acolher o dom do novo sacerdote crescido na terra e no movimento dos Jovens Sem Fronteiras. Um grupo de jovens ajudou a comunidade para viver com intensidade esta alegria da missão.

De 21 a 31 de julho, Vila da Ponte acolheu um grupo de jovens sem fronteiras -JSF-, oriundos de todo o país. Estes jovens partiram para “acolher o toque da missão”, dispostos ao que Deus quisesse e prontos para servir. Na sua bagagem apenas levavam a felicidade de ter descoberto Jesus e o desejo de espalhar essa felicidade, bem como o amor que receberam do Pai.

A missão destes oito jovens tinha linhas bem definidas. O projeto passava por preparar a comunidade para acolher o grande dom que Deus lhe facultou, um novo sacerdote. Assim, os dias, destes semanistas, foram passados com as crianças no ATL, com as famílias, idosos e doentes, através de visitas domiciliárias e como não poderia deixar de ser, em oração e encontro com Deus. A noite era o momento de reunir toda a comunidade para partilhar e refletir, sendo esse encontro feito através de diversas atividades, tais como: noite de cinema; jogos sem fronteiras; torneio de futebol; sessão missionária; tríduo de oração…

Os segundos, os minutos, as horas e os dias foram passando até que chegou o dia mais aguardado por toda a comunidade: o dia da missa nova do padre Luís Rafael. A eucaristia foi especial e ficou guardada na memória não só destes jovens, como também na memória da comunidade. O padre Luís Rafael pediu a Maria para o ensinar a dizer sim, “(...) a dar a vida, a caminhar sem medo”. Esta foi a mensagem que este grupo de jovens na hora de partir quis também deixar a toda a população: “Digam sim ao projeto que Deus tem para vós. O Pai quis contar com todos nós. Não temam, digam SIMMMMMMM.”

Na hora de partir, os JSF mostraram-se gratos a toda a comunidade pelo acolhimento, pelas palavras, sorrisos, abraços, partilhas, ensinamentos e amor que receberam. Partiram, mas deixaram em Vila da Ponte um pedacinho do seu coração. A partida custou, mas como disseram “a missão é partir, é lançar a semente à terra e deixar que outros colham os frutos”. Sabem que a sua missão continua e que agora têm ainda mais razões para seguir o caminho de Deus, pois receberam a força do Espírito Santo através desta comunidade. 

Últimas

Sabor a injustiça?

Como é que podemos trocar o sabor a injustiça pelo sabor e cheiro a misericórdia?

O (mais) perfeito dom

Jesus fala-nos do ‘perdão do coração’. Esse é que é o perdão por excelência, o dom perfeito. É na...

Bispo simples e próximo

A Família Espiritana une-se à Diocese do Porto e à família do D. António Santos, que partiu, esta...

Outra vez o jumento?!

"É tempo de férias, estar com a família e descansar, que seja também tempo para louvar e agradecer,...

Vidas alheias?

Passar do alheamento reinante a uma atitude de atenção, de proximidade, de solidariedade e de...