O melhor presente

Para nós, cristãos, o maior e melhor presente, em todos os aspetos, é o “Menino que nos foi dado”

Natal

Não são só as crianças que gostam de, pelo Natal, receber presentes - trata-se de uma prática frequente e regular mesmo entre adultos, levando muitas vezes a gastos exagerados que, depois, se vão ressentir no orçamento familiar.

Todavia, mais que o valor monetário das prendas, o mais importante é o seu valor simbólico, como expressão de uma amizade que perdura e se aprofunda em cada Natal.

Para nós, cristãos, o maior e melhor presente, em todos os aspetos, é o “Menino que nos foi dado”, do qual o próprio Cristo vai afirmar: “Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu próprio Filho” (Jo.3, 16), afirmação que o Papa João Paulo II comentou desta maneira: “a palavra ‘dá’ (“deu”) indica que esta libertação [da humanidade] deve ser realizada pelo Filho unigénito, mediante o seu próprio sofrimento. E nisto se manifesta o amor, o amor infinito, quer do mesmo Filho unigénito, quer do Pai, o qual “dá” para isso o seu Filho. Tal é o amor para com o homem, o amor “pelo mundo”: é o amor salvífico” (Salvifici Doloris, 14).

Dois riscos, pois, somos convidados a evitar: quedarmo-nos por uma bela e animada festa de família, ou não irmos além da dimensão sentimental que o Menino e o presépio provocam em todos nós. Importa mesmo ir mais além e ver neste Menino o presente que Deus carinhosamente nos oferece e que nós gratamente procuraremos acolher para correspondermos a essa amizade de Deus e fazer d’Ele o nosso companheiro de todas horas e a luz que oriente os nossos passos.

Com efeito, a grande notícia ainda hoje a ser espalhada é: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós. Nós vimos a sua glória, glória que lhe vem do Pai como Filho Unigénito, cheio de graça e de verdade”!

Últimas

III Missão Faz-te Bem

Jovens Sem Fronteiras de Godim realizaram festa de angariação de fundos para o Projeto Ponte, a...

Missão.Come’17

Em dia de Portugal, os JSF de Lordelo (Paredes) decidiram trazer um pouco de África à cidade, em...

JSF unidos com Maria

Os Jovens Sem Fronteiras da Foz do Sousa acolheram a região Douro para uma tarde de atividades,...

Uma vontade cega

Uma comédia dramática, com realização de Marc Rothemund e argumento de Oliver Ziegenbalg.

Em paz e em missão

O grande problema da Igreja hoje é que vivemos um cristianismo sonolento, acomodado e instalado que...