Irmão Venâncio (Armando Lourenço)

Numa vida simples, humilde e abnegada, fortalecida por grande apego à oração, viveu a consagração missionária na Congregação do Espírito Santo até aos 84 anos de idade, quando o Senhor da Messe o chamou para o bem merecido repouso na Casa do Pai.

Armando Lourenço, em Religião, Irmão Venâncio, nasceu em Atei, Mondim de Basto, diocese de Vila Real, em 28 de agosto de 1932, filho de Narciso Lourenço e de Maria da Conceição Carvalho.

Sentindo desde a juventude a vontade de uma maior consagração a Deus, procurou no seu pároco o melhor modo de o fazer. O bom do Pároco enviou-o ao diretor do seminário das Missões, no Fraião, recomendando-o como rapaz sério e firme na sua vontade de entrega a uma vida mais santa.

Admitido ao postulantado em 7 de setembro de 1961, passou para o noviciado, aqui mesmo no Fraião, e fez os primeiros votos em 8 de setembro de 1964. Os votos perpétuos foram feitos em 8 de setembro de 1971.

A partida para as Missões era o seu sonho. No entanto, sempre se manteve como missionário da retaguarda, cuidando sobretudo da agricultura aqui no Fraião e depois no Seminário da Silva.

Há muitos modos de ser missionário e um deles é, precisamente, o apoio às obras de Formação. E foram muitos os Padres e Irmãos, missionários em terras de África, que aproveitaram da sua dedicação sem reservas, enquanto estudantes.

Numa vida simples, humilde e abnegada, fortalecida por grande apego à oração, viveu a consagração missionária na Congregação do Espírito Santo até aos 84 anos de idade, quando o Senhor da Messe o chamou para o bem merecido repouso na Casa do Pai.

Foi ao cair da tarde do dia 21 de outubro de 2016. O funeral teve lugar no dia seguinte, na capela do Seminário de Fraião, onde viveu os seus últimos anos.

Últimas

Novena do Pentecostes

Com o tema "O Espírito Santo Presente e Ativo nas Famílias", os espiritanos no Vietname prepararam...

Fátima, o silêncio

E um indizível silêncio abateu-se sobre o recinto, ocupou todo o espaço, preencheu cada alma. E...

Peregrino da paz

O Papa Francisco visitou Fátima como peregrino da esperança e da paz. O que ele disse vai continuar...