Duas referências

António Guterres convida-nos à atitude de um olhar mais aberto sobre a diversidade do mundo; o P. José Manuel Sabença à alegria, o otimismo e a prontidão na entrega.

1. A julgar pelas notícias, o ano de 2017 iniciou em Portugal sob o signo da intolerância e da violência: da recuperação de cenas de espancamento entre menores ao relato de um rapto e sequestro que quase terminou em homicídio, passando por lamentáveis episódios de insulto, agressão e ameaças de morte na sequência de alegadas injustiças cometidas em jogos de futebol…

Toda essa mesquinha exploração de atos que são graves em si mesmos quase parece apagar a relevância de outro acontecimento marcante: o português António Guterres tomou posse como Secretário-Geral da ONU. Todos os portugueses deverão ser capazes de assumir, a partir desta referência, a atitude de um olhar mais aberto sobre a diversidade do mundo, de uma compreensão mais vasta do sentido da existência e seus desafios, de um compromisso mais radical com a construção da felicidade humana em todos os horizontes. 

Entre a estreiteza de entrarmos em conflito por mesquinhos interesses pessoais e a amplitude de nos pormos em causa face a projetos de bem comum e fraternidade entre os povos, há que escolher. Já em 2017!

2. Foi um dos primeiros missionários espiritanos com quem convivi. Dele retenho a alegria, o otimismo e a prontidão na entrega. Tudo isso que lhe vinha da fé e se traduzia num verdadeiro exemplo de compromisso missionário. Com ele partilhei vivências de retiros JSF, encontros de formação e reflexão, animação de Semanas Missionárias, vários momentos de simples conversa amiga. E fraterna. Tive o privilégio (nunca esquecerei esse gesto!) de vê-lo adiar por um dia a partida para a missão na África do Sul, a fim de estar presente e concelebrar na celebração do meu matrimónio. 

Visitei-o em novembro passado e testemunhei a sua configuração com a Paixão de Cristo, em corpo, alma, consciência e vontade: no leito onde se encontrava, percorreu a sua Via Crucis rumo ao Gólgota, com palavras serenas e motivadoras. Decerto vive já a plena libertação pascal.

A Missão perdeu um peregrino, mas ganhou um santo. Bem aventurado, padre Zé Manel!

Últimas

A melhor apólice

Mesmo que no nosso tempo se multiplicam as propostas de seguros contra todos os riscos, convém não...

Silêncio

Um filme de Martin Scorsese, adaptação de um romance de 1966 escrito pelo japonês Shusaku Endo, que...

As sufragistas

Mais uma edição da tertúlia "Um filme, uma provocação", promovida pelo CESM. A próxima edição é...

Verso... e o reverso

O Papa Francisco tem lugar cativo no "verso" do jornal Ação Missionária, por Arminda Camati. Desta...

Escolhas audazes

Sínodo dos Bispos, a realizar em 2018, tem como tema "Os jovens, a fé e o discernimento vocacional"....