Rasgar novos horizontes à Missão

Roma acolheu Espiritanos representantes dos mais de 60 países onde trabalham. O Conselho Geral Alargado (CGA), realizado de 19 de Junho a 2 de Julho, avaliou o caminho feito desde que, em 2012 aconteceu o Capítulo Geral, em Bagamoyo, na Tanzânia.

Um CGA é momento forte de encontro, partilha, debate, oração, avaliação e proposta de perspetivas novas de Missão. O programa abriu com um dia de reflexão, orientado pelo Superior Geral dos Redentoristas. Na ordem dos trabalhos, sucederam-se apresentações de temas, debates em plenária, trabalhos por comissões linguísticas. Foram ainda partilhadas algumas missões mais complexas que os Espiritanos vivem por esse mundo além.

Grandes temas

Aplicar as orientações saídas do Capítulo Geral foi o grande objetivo do CGA. Assim, desfilaram temas como o plano de animação geral da Congregação, a questão das nomeações missionárias (as primeiras), as novas iniciativas no âmbito da educação, as exigências da formação Espiritana hoje, as finanças ao serviço da Missão, a proteção de menores, as problemáticas da justiça, paz e integridade da Criação, a partilha de Espiritualidade e Missão com os Leigos, as uniões de circunscrições espiritanas, a comunicação, o diálogo inter-religioso. E porque é importante olhar para a frente, partilharam-se ideias e sugestões sobre o lugar e grandes temas do Capítulo Geral a realizar em 2020.

O debate foi longo e fraterno. Foram assumidas em assembleia e confiadas ao Conselho Geral algumas sugestões e estratégias para os próximos quatro anos.

Linhas da frente

Vindos dos quatro cantos do mundo, os participantes neste CGA partilharam experiências missionárias fortes. Escutamos o P. Pat Palmer a falar da missão difícil, mas desafiante no Vietname, lá onde a liberdade religiosa é muito frágil. O P. Emeka falou da Missão que se faz na Europa, sobretudo em áreas onde há mais pobreza e instabilidade. O P. Duaime apresentou um projeto que vai dar mais unidade à Missão Espiritana que se faz nos EUA e Canadá. O P. Mbinda falou da dura e exigente Missão no Sudão do Sul, em contexto de guerra e perseguição. O P. Peter falou das novas iniciativas da Nigéria no que diz respeito à educação. Sylvester Wozniak, Leigo Associado Espiritano, falou desta nova forma de pertença á Congregação. O P. Leonardo apresentou os desafios que se lançam aos Espiritanos nesta nova frente da Missão, a Bolívia.

Com o Papa na Basílica de S. Pedro

29 de Junho é feriado em Roma, porque Solenidade de S. Pedro e S. Paulo. Houve pausa nos trabalhos do CGA e foi-nos facultado o bilhete especial para a participação na Eucaristia presidida pelo Papa na Basílica de S. Pedro. Incomodam um pouco os sucessivos controlos de segurança até à entrada na basílica. Percebem-se os medos de eventuais atentados, pois em todos os grandes monumentos de Roma está bem patente o aparato policial e a verificação de malas e pessoas. Instalados atrás do Altar, os membros do CGA viveram a Eucaristia em que o Papa entrega aos novos Arcebispos o palio, símbolo que só eles podem colocar por cima da casula nas celebrações.

A homilia do Papa Francisco apostou em binómios: ‘A oração permite que a graça abra uma via de saída: do fechamento à abertura, do medo à coragem, da tristeza à alegria. E podemos acrescentar: da divisão à unidade. Sim, digamo-lo hoje com confiança, juntamente com os nossos irmãos da Delegação enviada pelo amado Patriarca Ecuménico Bartolomeu para participar na festa dos Santos Padroeiros de Roma’.

No fim, o Papa saudou a delegação ortodoxa e atravessou toda a Basílica saudando uma multidão dos fiéis que a enchia por completo, tendo ficado muita gente na Praça de S. Pedro. 

Em Roma, há 50 anos

Os Espiritanos chegaram à Cidade Eterna há 50 anos. A realização do CGA 2016 foi momento oportuno para a celebração deste Jubileu de Ouro. A Casa Geral abriu as portas aos membros do CGA, a antigos Superiores Gerais, Conselheiros Gerais e antigos funcionários. A Missa foi campal, no belo jardim que rodeia o edifício. Presidiu o P. John Fogarty, Superior Geral, ladeado pelos Padres Franz Timmermans (holandês) e Pierre Haas (francês), ambos antigos Superiores Gerais. De entre os ex-Conselheiros, contavam-se três Bispos. 

Na homilia, o P. John Fogarty evocou esta história cinquentenária da presença Espiritana em Roma, narrou a epopeia da chegada e apontou para o futuro, mostrando a muita Missão que ainda está por cumprir.

Mensagem Final

O P. Bede Ukwuije, 1º Assistente, presidiu à Eucaristia de Encerramento. Na última sessão, foi lida e aprovada a Mensagem Final: ‘Nós, membros da Congregação do Espírito Santo, participantes do CGA 2016, realizado em Roma, de 19 de Junho a 2 de Julho, regressamos às nossas terras de Missão com um enorme sentimento de gratidão.

Agradecemos ao Deus de misericórdia pelo dom da nossa vocação e pela força do Espírito que impele todos os Espiritanos a irem pelo mundo anunciar a Boa Nova da Justiça, da Paz e da Solidariedade (cf. Lc 4,18-19). Agradecemos a todos os Espiritanos, professos e leigos, pelo testemunho ousado e corajoso do Amor de Deus em mais de 60 países dos cinco continentes. O CGA foi um tempo forte de oração, reflexão, encontro, partilha e crescimento no conhecimento mútuo e na Missão sem fronteiras.

O objetivo deste CGA era o de avaliar o cumprimento das decisões do Capítulo Geral, realizado em Bagamoyo-Tanzânia, em 2012. Nesse sentido, em plenárias e comissões, nós partilhamos, reflectimos e apontamos algumas pistas de futuro sobre temas como: a animação da Congregação, as nomeações missionárias, a educação, a formação para a Missão, as finanças, a protecção de menores, as situações irregulares, a justiça, paz e integridade da criação (JPIC), os Leigos Associados Espiritanos, a organização da Congregação e as uniões de circunscrições. 

Nós também consagramos uma parte do nosso tempo para escutar um certo número de experiências significativas de confrades comprometidos em diferentes regiões do mundo: nossa missão espiritana na Ásia (Vietname), na Bolívia, na Europa e na América do Norte. Nós também escutamos um testemunho sobre a iniciativa missionária no Sudão do Sul e sobre um novo projecto de educação na Nigéria. Ficamos maravilhados com as novas fronteiras que se abrem na área do desenvolvimento.

O trabalho realizado em cada dia do CGA foi oferto a Deus nas celebrações litúrgicas quotidianas, acompanhadas através do som melodioso da Kora senegalesa. É preciso salientar o jubileu dos 50 anos da chegada da Administração Geral a Roma e nossa participação na Solenidade de S. Pedro e S. Paulo, na Basílica de S. Pedro, com o Papa Francisco. A festa do jubileu da Casa Geral foi uma ocasião oportuna para reunir um certo número: de antigos superiores Gerais, de antigo conselheiros e de antigos empregados que serviram na casa geral.

Bagamoyo 2012 foi o ponto de referência, mas já apontamos o olhar e o coração para 2020, data do próximo Capítulo Geral, por isso já consagramos algum tempo para discutir algumas questões importantes’.

Últimas

O pão da esperança

29º Domingo do Tempo Comum. O Dia Mundial das Missões que hoje celebramos é ocasião propícia para...

Nossa Senhora do Caminho

Foi pelas pantufas da Irmã Lúcia que cheguei às chuteiras do Nuno Gomes. Mas o que é que uma coisa...

Educar na fé

20. A história do Beato Daniel Brottier, contada pelo P. Agostinho Tavares.

O banquete

O nosso jeito de celebrar os acontecimentos mais importantes da nossa vida pessoal, familiar e...

Outubro missionário

A mensagem do Santo Padre para o Dia Mundial das Missões tem como tema “A Missão no coração da fé...

Com Maria, Missão de Paz

Este Guião Missionário vai pôr o nosso coração a bater ao ritmo do coração da Deus e da Igreja que o...