A Senhora de Maio: todas as perguntas sobre Fátima

"O lugar (Fátima) existe. E chama, de forma eficaz, vai para cem anos, todos os que lá vão. Se o lugar merece a nossa atenção, merecem os peregrinos o nosso respeito. Por tudo isto nos lançamos a fazer todas as perguntas sobre Fátima. Para que cada leitor possa acrescentar novas perguntas e procurar e propor as suas próprias respostas".

"A Senhora de Maio" é um trabalho de investigação de dois jornalistas: António Marujo é católico e perito em assuntos religiosos; Rui Paulo da Cruz é ateu, mas muito atento ao fenómeno religioso. Esta obra, pensada, realizada e publicada no âmbito do centenário das Aparições, faz muitas perguntas sobre Fátima (talvez não "todas as perguntas" como o subtítulo afirma). Começa por dois testemunhos de quem viveu na Cova da iria naquele ano de 1917, avança para o contexto da história de uma época marcada por conflitos sérios entre católicos e republicanos e apresenta algumas das leituras (muito diferentes umas das outras) que foram sendo feitas, nos últimos anos, por diversas figuras da Igreja católica.

O estudo do fenómeno das aparições e a apresentação de dossier relativo à beatificação dos pastorinhos são completados pelas reflexões em torno da atualidade da Fátima e sua mensagem, após cem anos. É uma parte importante desta obra, em forma de entrevista a figuras que marcam Fátima.

Para a história, são notáveis os anexos, desde o interrogatório dos videntes até às intervenções dos Papas, passando por toda a polémica dos "segredos", sobretudo o "terceiro".

Como dizem os autores na nota final: "O lugar (Fátima) existe. E chama, de forma eficaz, vai para cem anos, todos os que lá vão. Se o lugar merece a nossa atenção, merecem os peregrinos o nosso respeito. Por tudo isto nos lançamos a fazer todas as perguntas sobre Fátima. Para que cada leitor possa acrescentar novas perguntas e procurar e propor as suas próprias respostas".

Ed. Temas e Debates | Círculo de Leitores

Últimas

Sabor a injustiça?

Como é que podemos trocar o sabor a injustiça pelo sabor e cheiro a misericórdia?

O (mais) perfeito dom

Jesus fala-nos do ‘perdão do coração’. Esse é que é o perdão por excelência, o dom perfeito. É na...

Bispo simples e próximo

A Família Espiritana une-se à Diocese do Porto e à família do D. António Santos, que partiu, esta...

Outra vez o jumento?!

"É tempo de férias, estar com a família e descansar, que seja também tempo para louvar e agradecer,...

Vidas alheias?

Passar do alheamento reinante a uma atitude de atenção, de proximidade, de solidariedade e de...