A coragem de ser diferente

12º Domingo do Tempo Comum. Sem demora, metamo-nos a caminho, seguros de que não vamos sozinhos. Para além de Cristo, com toda a certeza que encontraremos outros companheiros de caminhada!

“até os cabelos da cabeça estão contados”

12º Domingo do Tempo Comum

No texto do evangelho de hoje sobressai a tríplice exortação de Jesus àqueles que Ele ia enviar em missão: “Não tenhais medo dos homens... Não temais os que matam o corpo... Não temais: valeis mais do que todos os passarinhos”.

De facto, Jesus não os alicia com promessas de sucesso fácil, nem lhes esconde as dificuldades e provações que irão enfrentar, mas convida-os a serem “prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. Foi, pois, avisados e despertos, mas também confiantes - “até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados” - que os Apóstolos partiram em missão.

Já na primeira leitura nos é oferecido o exemplo do profeta Jeremias, o qual, bem consciente das armadilhas com que os próprios familiares e amigos o cercavam, exclamava: “O Senhor está comigo como herói poderoso. Os meus  perseguidores é que cairão vencidos”!

Mesmo em tempos e ambientes de democracia e pluralismo, não é fácil ser-se diferente! Refiro-me, evidentemente, ao “ser diferente” e não ao “parecer diferente” apenas por capricho ou para dar nas vistas... É que, feiras de vaidades, temo- las aos montes! Escasseiam, sim, aqueles e aquelas que ousem ser diferentes por fidelidade a valores, a ideais, a Deus. Ao jeito do profeta Jeremias, ao jeito de Jesus Cristo.

Embora a fatura a pagar por essa ousadia seja elevada, a ninguém - garante S. Paulo - faltará o auxílio d’Aquele que, por fidelidade ao Pai, ousou enfrentar tudo e todos: é da sua morte na cruz que jorra abundantemente para todos os homens o dom e a força da fidelidade.

É que, se não houver quem ‘reme’ ou ‘nade’ contra a corrente, até pode parecer que para a vida não há outro sentido para além da subserviência, do consumismo insaciável, das banalidades, do culto da aparência, da conquista de umas migalhas de prazer e de felicidade por qualquer preço.

Aos que ousam ser diferentes por fidelidade, Cristo garante que, para além da força e coragem, será Ele mesmo a recomendá-los a Deus, que, já de si, se desmultiplica em desvelos e carinhos pelos seus filhos, a quem garante que “até os cabelos da cabeça estão contados”!

Sem demora, metamo-nos a caminho, seguros de que não vamos sozinhos. Para além de Cristo, com toda a certeza que encontraremos outros companheiros de caminhada! Que o Senhor Jesus não tenha de se envergonhar de nenhum de nós diante do Pai do Céu!

Últimas

O pão da esperança

29º Domingo do Tempo Comum. O Dia Mundial das Missões que hoje celebramos é ocasião propícia para...

Nossa Senhora do Caminho

Foi pelas pantufas da Irmã Lúcia que cheguei às chuteiras do Nuno Gomes. Mas o que é que uma coisa...

Educar na fé

20. A história do Beato Daniel Brottier, contada pelo P. Agostinho Tavares.

O banquete

O nosso jeito de celebrar os acontecimentos mais importantes da nossa vida pessoal, familiar e...

Outubro missionário

A mensagem do Santo Padre para o Dia Mundial das Missões tem como tema “A Missão no coração da fé...

Com Maria, Missão de Paz

Este Guião Missionário vai pôr o nosso coração a bater ao ritmo do coração da Deus e da Igreja que o...