150 anos de maravilhas

V Jornadas de Espiritualidade Missionária Espiritana, em Fátima

(Veja no facebook dos espiritanos mais fotos do evento)

D. António Couto, Bispo de Lamego, Biblista e Missionário da Boa Nova, deu o mote para o título deste texto que partilha estas V Jornadas para celebrar os 150 anos da chegada dos primeiros Espiritanos a Portugal. Mais de 460 pessoas aceitaram o desafio e responderam ‘sim’ ao convite para um tempo especial de formação, reflexão, partilha, oração e confraternização, em Família.

‘Contaram as maravilhas que Deus realizou por eles’ (Act 14,27) foi o lema. D. António Couto assegurou a ‘lição inaugural’ sobre o tema ‘Alegres na Esperança’ (Rom 12,12), lema geral de todo o Jubileu Espiritano. Disse que é importante a passagem do ‘tu’ para o ‘vós’, de alguns indivíduos Espiritanos para a grande Família Espiritana, aberta aos leigos. Recordou que a alegria é permanente por causa da esperança.

Centenário de Fátima

A Irmã Ângela Coelho, da Aliança de Santa Maria e responsável pela postulação da beatificação e canonizações dos Pastorinhos de Fátima, falou à assembleia deste centenário das Aparições e da riqueza da mensagem de Fátima para os nossos tempos. Chamou a atenção para a ligação profunda entre os Espiritanos e Fátima: o Imaculado Coração de Maria! Maria convida-nos à Missão, à ida na direcção das periferias e margens como pede o Papa Francisco. Fátima acentua a mensagem de Cristo e ajuda o mundo a pôr o coração a bater ao ritmo das preocupações missionárias da Igreja, como recordam os Bispos na Nota Pastoral sobre os 150 anos da missão Espiritana em Portugal.

A voz de Roma

Roma fez-se presente com o Irmão Marc Tyrant, francês, 2º assistente geral dos Espiritanos e o P. Maurice Shortall, irlandês, conselheiro geral. Ambos apresentaram à assembleia a Missão da Congregação com quase 3 mil Espiritanos espalhados pelos cinco continentes. Falaram de uma missão com alegrias e tristezas, com esperanças e angústias. Há situações muito favoráveis à Missão, mas outras de grande risco para os missionários e o povo: Argélia, Mauritânia, República Centro Africana, Sudão do Sul, Paquistão…

Workshops com Missão

A tarde de sábado foi de workshops. O casal Pedro Quintans e Margarida Querido falaram da Missão segundo o Papa Francisco. Pedro Valinho, pai de três filhos, partilhou reflexões sobre a forma de viver a Missão segundo a ‘Alegria do Amor’, do Papa Francisco. A irmã Glória Lopes, Provincial das Espiritanas, tentou explicar como a Igreja em Portugal pode ter um rosto cada vez mais missionário. O P. Victor Silva, a chegar de Taiwan, falou da Missão inter-gentes. A irmã Rosalina Veiga (Espiritana de Cabo Verde) e o P. Edward Apambila (Espiritano do Gana) abordaram um tema delicado: Mulher na Missão e Missão da Mulher, nas suas culturas.

Celebrações intensas

O fim da tarde e a noite foram celebrativas. Tudo começou com a Eucaristia, presidida pelo P. Pedro Fernandes. O momento mais marcante foi o penitencial com a celebração do Sacramento da Reconciliação, facilitado pela presença de 30 Padres. A noite foi de sintonia com as propostas orantes do Santuário: os participantes nas Jornadas deslocaram-se à Capelinha para a recitação do Rosário e a Procissão de Velas.

Provinciais à mesa

‘A história tem um coração a bater connosco’ foi a frase que deu tom a um momento especial pois juntou, à mesma mesa, todos os Provinciais Espiritanos ainda vivos. Cada um foi partilhando as alegrias e angústias dos seus 6 ou 9 anos de Missão como Superior Provincial, ao serviço da animação da Província Portuguesa dos Espiritanos. Ouvimos, em primeira pessoa, os testemunhos dos Padres Casimiro Oliveira, Manuel Durães, José Castro Oliveira, Eduardo Miranda Ferreira e Tony Neves.

Homenagem ao P. J. Manuel Sabença

Um dos grandes ausentes-presente foi o P. José Manuel Sabença, falecido em Dezembro, aos 56 anos. Surpreendido com a descoberta de um cancro nos pulmões, partiria seis meses depois para a Casa do Pai, deixando um enorme vazio entre todos os seus confrades e amigos. Estas Jornadas prestaram-lhe uma profunda e sentida homenagem, com um minuto de silêncio, com a projecção de um vídeo feito por ocasião da morte e com a partilha do que foram os seus três mandatos de Superior Provincial, entre 2004 e 2012.

Publicações com história(s)

Foram lançadas três obras: o álbum que mostra a história da Missão Espiritana em Portugal nestes 150 anos de presença, com texto de Aristides Neiva e grafismo de Victor Silva; uma colectânea da Parábolas recontadas pelo P. Adélio Torres Neiva; as ‘Instruções aos Missionários’, do P. Francisco Libermann, traduzidas e apresentadas pelo P. Agostinho Tavares.

A Missão continua…

A Eucaristia de Encerramento foi uma grande Festa da Missão, presidia pelo P. Maurice Shortall. No fim, foi benzido e entregue a cada participante um ‘Terço Missionário’, a recordar os 150 anos dos Espiritanos, os 100 das Aparições e os 80 da LIAM. Deus continua a realizar maravilhas e é preciso coragem de as contar.

Últimas

Novena do Pentecostes

Com o tema "O Espírito Santo Presente e Ativo nas Famílias", os espiritanos no Vietname prepararam...

Fátima, o silêncio

E um indizível silêncio abateu-se sobre o recinto, ocupou todo o espaço, preencheu cada alma. E...

Peregrino da paz

O Papa Francisco visitou Fátima como peregrino da esperança e da paz. O que ele disse vai continuar...